Meninas Super Poderosas e Samurai Jack no Mesmo Universo??

Fala, Geeks. tranquilidade na parada?

Pois bem, no nosso Pod GeekCast sobre Os Desenhos da Nossa Infância, que você pode ouvir ou baixar clicando aqui, tivemos grandes alucinações geradas pelo excesso de LSD pela nossa mente criativa. E uma delas foi que, Samurai Jack e Meninas Super Poderosas se passasse no mesmo universo. Eu realmente fui pesquisar sobre e descobri duas teorias:

 

1ª Por conta do estudo exaustivo sobre o elemento X, o Professor Utônio acaba explodindo a cidade, matando de alguma maneira as Meninas Super Poderosas e dando grandes poderes ao Macaco Loko que se transforma em Aku, que volta ao passado e tenta matar o ancestral do Professor. Gerando a abertura do desenho do Samurai.

2ª Aku é o próprio elemento X, que foi gerado acidentalmente, assim como as Meninas e que acabou destruindo tudo ao seu redor, e com determinação de combater esse mal o Professor adota outro nome e estuda artes marciais no oriente.

Certas semelhanças podem ser reparadas, como a cidade destruída ser parecida com Townsville, ter animais falantes e fisionomia dos monstros serem parecidas nos dois desenhos. Sendo eles presente e futuro.

Mas, contudo, entretanto, todavia e porém. Tivemos a perspicácia de criar algo mais concreto e detalhado, que você vai conferir agora:

O Professor Utônio e Jack não são a mesma pessoa, mas realmente faz sentido serem um o antepassado do outro. Mas como isso deu origem?

Aku (ou Abu aqui no Brasil), estava no passado e em uma batalha mortal contra um simplório guerreiro samurai, aonde o grande mestre das trevas estava prestes a ser derrotado, transportou Jack para um futuro, dando origem a uma linha temporal. Nela “o mal era a lei” como disse seu arqui inimigo. Nesta linha, Abu dominou os reinos sem a temível presença do portador da única arma que poderia detê-lo. Jack, assim, foi a um futuro que não surtiu efeito com sua presença e vitória sobre o mal, buscando incansavelmente derrotar o que causou tudo isso e voltar à sua época. No último episódio, ele retorna ao passado com Ashi, sua companheira e grande amor de sua vida, que ajudou na luta contra Abu (ou Aku, no original). Na cerimônia de casamento, ela acaba desaparecendo, deixando apenas as roupas nupciais que estava usando. Em seu luto, Jack encontra Ashi nos detalhes mais insignificantes e encontra a tranquilidade para continuar a viver em paz.

Imagem relacionada
Momento em que Ashi desaparece misteriosamente, durante seu priprio casamento com jack.

Pode ser que Jack tenha encontrado outra mulher, ou tenha familiares próximos, como primos ou irmãos. O importante é que a vida se seguiu dali em diante e sua geração se prolongou aos dias atuais, onde Prof. Utônio e sua descendência oriental começa a fazer experimentos e dando origem, primeiramente, a mente grandiosa (e insana) do seu amado ajudante Caco, que se tornou o grande inimigo do bem, quando o ciúmes e a inveja dominaram seu coração ao ver a maior descoberta de seu amado tutor, quando ele misturou açúcar, tempero e tudo que há de bom (e, acidentalmente, o Elemento X).

 

Realmente interessante é este Elemento X, que não se sabe o que é. Mas que, ao ser misturado com demais ingredientes, resulta em conclusões extraordinárias e mágicas.

Professor Utônio e Samurai Jack tem certa semelhança, mas não de nossa crença que sejam a mesma pessoa.

Penso que, em uma de suas experiências, O Prof. Utônio criou Abu e ele, antes de ser derrotado pelas Meninas e seus super, ultra poderes, voltou ao tempo para matar o ancestral de Utônio. Quando chegou e iniciou seu apocalipse oriental, encontrou o jovem portador da espada mágica capaz de eliminar qualquer mal. Seu plano seria perfeito se Jack não tivesse conhecido seu grande amor em terras futuristas desconhecidas, nas ruínas da “antiga” Townsville.

Townsville na linha temporal aonde as PPG existem e podem defende-la das ameaças do mal e Townsville onde Jack se encontra, no futuro onde o mal é a lei.

Dois detalhes que são importante para alimentar esta teoria. A primeira é que, em um passado muito distante, não sobram muitos lugares civilizados para encontrar um ancestral se não no ocidente e é muito fácil perceber a descendência do Professor com aqueles olhos puxados, a ideia de Aku (Abu) era simplesmente espalhar o mal e destruir tudo o que é bom, sabendo do futuro certo, caso não conseguisse ter sucesso em sua tarefa, foi apenas pela infelicidade do destino que Jack cruzou seu caminho. A segunda é simplesmente o nome “Jack”. Creio que este não seja realmente o nome do Samurai tetra-penta-hexa-bisavô de Utônio, mas sim um nome adotado no futuro, jack seria mais comum e invisível aos olhos dos mais curiosos (não que uma roupa de samurai e uma espada mágica não seja chamativo o bastante no futuro apocaliptico).

 

A ideia principal acaba gerando um paradoxo temporal, onde:
“Utônio cria ou descobre o Elemento X, dando origem ao Macaco Loko, As PPG e ao Aku. Este, por sua vez, não vê oportunidade de vitória no presente e volta aos primórdios genealógicos de seu criador para reinar sobre tudo e todos. Lá, por coincidência ou não, encontra um samurai capaz de destruí-lo e se vê obrigado a arremessar ele em um futuro, dando assim uma folga para dominar o mundo e passando pelo presente alterado por seus atos. Já no futuro sem a criação Lindinha, Florzinha e Docinho, Aku reina e o mal prevalece até a batalha final entre Jack e Ashi e, unindo as duas forças, o casal volta no tempo, exatamente no momento em que o antigo Jack vai ao futuro, derrotando assim, Abu. No casamento, Ashi desaparece, pois a sua linha temporal já não existe, Igual McFly, em De Volta Para o Futuro e o samurai tem sua vida normal de volta. Tudo corre para que voltemos no início, onde Utônio resolve ser um cientista. Uffa…

 

Conseguiu entender, não? Então escreva nos comentários ou nos mande um e-mail, entre em contato conosco aqui:


contato@colunageek.com.br

www.facebook.com/ColunaGeek

twitter.com/ColunaGeek

www.instagram.com/colunageek

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo