Pixar, e a Longa Espera de Suas Sequencias

Fala, Geeks… este post terá cheiro de nostalgia e infância, além também de ter cheiro de coisa boa. Pois falaremos da nossa queria Pixar e de (posso me atrever a dizer escrever) suas obras mais consagradas.

A muito, a idealização da Pixar Studios foi voltada para efeitos especiais com computação gráfica, a Walt Disney Studios logo se tornou seu maior cliente, solicitando os serviços para suas animações. A Pixar não tinha como dar errado, uma empresa criada por Steve Jobs sendo uma derivação da Lucasfilm, como propaganda da capacidade dos motores gráficos que o Image Computer (hardware de funcionamento de todas as funcionalidades da Pixar), a Pixar criava, meio que por diversão, pequenos curtas que futuramente eram usados como abertura de seus longas, feitos em parceria com a Disney.

O sucesso de seus filmes foram exorbitantes, porém sem pressa de acontecer, o acabou sendo uma característica do nome. A sequência de Toy Story levou 4 anos para estrear, sendo em 95 a primeira animação. Nos dias atuais, voltaremos a rever esses primeiros trabalhos da Pixar, Começando com Procurando Dory, a sequência de Procurando Nemo que levou 13 anos para acontecer. Toy Story 4 está em um intervalo menor, com “apenas” 8 anos de espera, com estreia para 2018. O mais, aguardado, pra mim, com certeza é Os Incriveis 2, com data para 2019, a animação vai ficar com 14 FUKING anos de espaço entre o primeiro e segundo título.

A Pixar/Disney promete que toda a espera valerá a pena, mas mesmo com tanta alegria em meu coração de criança, gostaria de ouvir deles que, além desses grandes clássicos pioneiros, eles estivessem trabalhando também em seus filhos mais esquecidos, como o maravilhoso Vida de inseto, segundo longa feito pela Pixar, em 1998, depois da primeira aparição de Woddy e Buzz Lightyear juntos. Minha espera para rever Flik em uma nova aventura já é de 18 anos e sem previsão de isso acontecer.

Outras duas animações que me fariam pular de alegria ao saber de suas produções seriam Wall-E e Ratatouille, e como tudo está se encaminhando para isso, pois a luz da nossa luminária está voltada ao passado, se atentando primeiramente ao “queridinhos” para depois aos que não deram tanto retorno monetário, tenho certeza que em, mais ou menos 10 ou 15 anos, veremos esses amados personagens nas telonas.

Concluo dizendo que Pixar é Foda e deveria contratar nossa amada divindade Samuel L. Jackson para dublar um protagonista à sua altura.

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo