A Forma da Água é Realmente Tudo Isso?

Não são uma, nem duas. Estamos falando de um filme que recebeu TREZE indicações ao Oscar 2018. A Forma da Água, de Guilhermo del Toro, é o grande favorito deste ano, até porque foi a grande atração no Globo de Ouro, ganhando duas, das sete estatuetas indicadas, a de melhor filme e melhor trilha sonora.

Guilhermo traz sua obra para o Prêmio BAFTA também, concorrendo dez, das vinte categorias. Veremos no próximo dia 18/02 se a maré continuará a favor e levará o filme ao patamar dos maiores vencedores do Oscar Britânico.

 

Guilhermo del Toro sempre me impressionou com seus monstros, desde o mais cheio de fábulas em Labirinto do Fauno, passando pelos heróis em quadrinhos com os dois Hellboy e Blade 2, pelos fantasmas de A Colina Escarlate e chegando finalmente aos Kaijus de O Círculo de Fogo. Em A Forma da Água, o diretor e produtor traz uma criatura marítima presa e torturada em um centro de estudos do exército americano, em plena corrida espacial. O intuito é a morte e dissecação para estudos da criatura e durante esse processo, Eliza Esposito (Sally Hawkins) se encanta pela criatura, encontrando um ponto em comum entre eles, pois o monstro não olha com indiferença para a zeladora, mesmo ela sendo muda, assim como ela não encontra nada de diferente nele, pois o vê apenas como um ser vivente, isso acaba sendo um gancho fantástico para a discriminação racial, social e de gêneros, que acontecia muito naquela época e que, infelizmente, não mudou quase nada nos dias de hoje.

 

O filme tem um roteiro incrível, uma qualidade artística quase que incomparável, atuações e falas excelentes, levando a responsabilidade de carregar a nota máxima do Coluna Geek. 5 MotherFuckers para A Forma da Água.

E sobre minhas apostas, talvez seja muito cedo para dizer se o filme será o grande vencedor da noite, a ponta da caneta está voltada a escrever o nome do filme nos espaços de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Diretor, Melhor Figurino.

 

DOUG JONES

Uma curiosidade é sobre o ator que interpreta o Anfíbio, Doug Jones, que recebeu o mesmo papel em Hellboy, interpretando a criatura Abe Sapiens, nos dois filmes da franquia. Em A Forma da Água, é dito que a criatura foi encontrada na América do Sul e que os índios locais, entregavam oferendas nas margens das lagoas e que o venerava como um deus, poderia ser a origem de Abe, já que temos as mesma características quando ele é apresentado ao agente John Myers, no filme de 2004. Mas não, Guilhermo se inspirou no Monstro da Lagoa Negra e quis apenas aproveitar Doug com sua experiência no papel e excelente atuação com fantasia e maquiagem, até porque o ator é quase que fundamental nos filmes de Toro, interpretando até mais do que apenas um papel em seus filmes, além de sempre vestir o figurino de zumbi, vampiro, alienígenas, criaturas misticas e monstros arrepiantes em outras produções.

Doug Jones e seus grandes personagens no cinema, Abe Sapiens, Anjo da Morte, um ajudante do Rei Balor, todos de Hellboy. O Fauno e o Homem Pálido do Labirinto e o Surfista Prateado do segundo filme do Quarteto Fantástico

 

Mas a pergunta ainda continua, A Forma da Água é realmente tudo isso?

Ele é sim um excelente filme, mas fico me questionando sobre as indicações, pois é o terceiro ano consecutivo que temos filmes abrangendo quase todos os campos do Oscar, deixado de lado as Animações, Curtas e Documentários. La La Land, O Regresso e Mad Max estavam concorrendo a 14, 12 e 10 estatuetas, consecutivamente. Nos últimos 10 anos, 11 filmes tiveram mais do que 10 indicações. Me pergunto se isso é bom, por estarmos fazendo obras que trabalham com excelência todos os campos técnicos do cinema, ou se é ruim, por não termos trabalhos competitivos, deixando assim um “grande favorito” com maior probabilidades de aproveitamento.

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo