A Sindrome de Harry Potter

O medo de deixar de ganhar o dinheiro gananciosamente por conta do fim da franquia faz com que as produtoras tentem torcer ainda mais a toalha do produto, para ver se sai mais um pouquinho de dinheiro. Isso está acontecendo com mais frequência do que podemos suportar, e consequentemente baixando um pouco (ou muito) a qualidade do filmes que tanto amamos.

Isso pode ter começado com Harry Potter, por isso foi batizado com o nome do bruxinho. Contudo o motivo era válido e aceitável, As Relíquias da Morte é realmente um livro extenso e não caberia em apenas um filme. Mas com o sucesso que trouxe as duas partes fez as produtoras pensarem a respeito da continuação e termino de seus filmes. Seguiu com a Saga Crepúsculo – Amanhecer Pt 2 e o fim de um péssimo exemplo em adaptação literária.

Temos outros péssimos exemplos, como Jogos Vorazes – A esperança Pt 1 e 2 mostrando que não precisa ter roteiro para dois filmes para faze-los. Basta pegar os 10 primeiros minutos de um, expandi-lo em um filme separado e pronto, temos dois filmes ruins ao invés de um meia boca.

Claro que outros estão seguindo esta receita para ver o seu dinheiro dobrar (?), temos a Serie Convergente apostando em na segunda parte de sua grande cagada (ou seria a quarta parte de sua grande cagada?). Até Resident Evil está pensando em fazer de seu capitulo final duas partes de uma grande aposta que está começando a cheirar mal. Eu nem queria comentar sobre, mas meu amado Hobbit e sua Terra Media foi dividido em partes para fazer mais dinheiro.

Meu medo é que a síndrome de Harry Potter possa fazer mal à Marvel e DC com as obras que reúnem seus grandes elencos em Vingadores 3 e A Liga da Justiça.

Com isso apresento a síndrome de Harry Potter, alertando à todos os Geeks que nem tudo que é divido pode ser favorável.

“Cuidado com as segundas partes”

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo