Batman v Superman – Review

Faaaaala Nerds, cuméq(VI)tão? Óoh nóis aqui de novo pra mais um reviewzin maroto, dessa vez com esta película maravilhosa que muitos têm o direito de estarem errados achando que não foi boa, que será analisada por todos os integrantes desta corporação cervical.

Vamos falar de Batman v. Superman: A Origem da Justiça, logo de cara já adianto pra vocês que existem alguns pontos que vamos tratar nessa análise “filmística” que vossas senhorias têm de estar cientes antes de prosseguirem, vou dar spoilers ~de levs~ se ainda não viu o filme recomendo que veja, depois retorne e deixe seu comentário !!! Com esse singelo aviso seguimos, então bora pra análise…

Bom, como todos devem se lembrar o filme começa com uma pequena origem do nosso amado Cruzado Encapuzado, de como tudo começou na vida do menino Bruce e felizmente não toma muito tempo de tela por se tratar de um flashback rápido (temos mais desses durante o filme), o diretor Zack Snyder, adora usar desse artifício para embasar as histórias sem tomar muito tempo dos filmes, infelizmente (ou não, vai depender do seu nível de aprofundamento em HQs) em BvS, alguns dos flashbacks parecem muito sem pé nem cabeça e não justificam estarem no momento em que aparecem, mas em um contexto geral se completam e embasam mais o futuro universo cinematográfico que está por vir.

No geral o primeiro ato do filme é bom, mostra uma faceta do Batman (sim, temos muito mais Batman que Superman na primeira parte) em que nunca vi sendo explorada nos filmes: o detetive! Os roteiristas aproveitaram muito bem o Bem Affleck como Bruce Wayne, em contrapartida somos apresentados à um Clark Kent jornalista que não está com a vida profissional tão em dia e malabariza o cargo e a questão de ter destruído toda uma cidade para salvar o mundo e é crucificado pela mídia. Nesse ponto somos expostos a um paralelo interessante proporcionado pelo diretor, em seu outro filme Watchmen, toda a questão da existência de seres sobre humanos é contestada pela população comum, com relação aos seus atos e quem os supervisionariam. E em BvS temos essa mesma questão porem aplicada somente ao Superman, que é o ‘único’ super ser em vista.

Avançando um pouco mais, temos a introdução do peculiar Lex Luthor, interpretado peculiarmente por Jesse Eisenberg. O desenvolvimento dos personagens a essa altura do filme é OK, e tirando o fato que não é apresentada uma justificativa para o modo de agir do ‘vilão’ megalomaníaco, vemos que ele possui um quê de uns vilões que não entraram no roteiro e foram condensados dentro da sua personalidade. No segundo ato, o filme é um pouco mais focado no Superman, nesse momento parece que mudamos de filme, há uma mudança brusca na palheta de cores e somos introduzidos ao dilema do Escoteiro, que quer ajudar a todos, porém também deve lidar com a consequência de seus atos que nem sempre são bem interpretados pela mídia como citei acima e também enfrenta duras críticas de uma comissão especial do congresso Americano que busca reparação pelos “danos” causados por ele.

Como de costume nos filmes de Snyder toda a ação de fato é deixada para o terceiro ato, onde temos todos os personagens e seus respectivos objetivos bem direcionados, e na Origem da Justiça (não gostei desse subtítulo) não é diferente. Após uma rápida introdução da Mulher Maravilha, que por sinal  está muito bem, Gal Gadot é uma grata surpresa e parece muito a vontade no papel, temos a revelação do arquiteto de toda a discórdia e da contenda entre o Cavaleiro das Trevas e o Escoteiro da América e o seu “objetivo” com toda a manipulação que fez durante toda a película. As cenas de luta e o CG não são sensacionais, mas não deixam a desejar, as coreografias são boas e mantém um bom ritmo de ação durante o arco final.

 

De uma maneira geral é um bom filme, superou as minhas expectativas e a discussão sobre os trailers estragarem a experiência do filme não procederam, apesar de revelar um dos componentes que pra mim seria uma boa surpresa (conheço algumas pessoas que reclamariam se não tivesse tomado esse “trailer-spoiler”). Um ponto muito importante a se ressaltar é a trilha sonora, Hans Zimmer e Junkie XL estão muito bem e chamam muito a atenção principalmente nas cenas mais agitadas em que a trilha se destaca e complementa muito bem a situação.

Batman v Superman: A Origem da Justiça com certeza vale sua ida ao cinema e na minha humilde opinião foi um bom início ao universo dos Deuses entre Homens da DC, creio que finalmente temos um inicio de Liga da Justiça nas grandes telas, há uma luz no fim do túnel para a produtora da caixa d’água.

Não vá embora que logo mais sai o review do Jon, e se você não leu confere aí as impressões do Peregrino sobre BvS.

Nota:

04 Motherfucker

Diretor: Zack Snyder

Roteiro: Chris Terrio/David Goyer

Lucas Barbosa

nerd, rap addicted, acha que entende futebol americano e tenta ser podcaster.

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.