FODA-SE A CRITICA, O PEREGRINO GOSTOU

Hoje começa a series de opiniões formadas de cada um dos integrantes do Coluna Geek sobre o filme Batman v Superman. Então… bora pro Cas… não,pera…

ESSE REVIEW TEM SPOILER – Faaaaaalaa Geeks, nestes últimos dias, algo tem dividindo a opinião dos internautas, o filme Batman v Superman – A Origem da Justiça. Na minha opinião, essa divisão não deveria existir.

 

O filme é bom, não… é espetacular. Afinal é o Batema lutando com o Superome. Mas vamos analisar os pontos de tanto ódio:

  • PRIMIERO ATO: Pra mim não é lento, teve o tempo certo para entender a situação e apresentar os personagens importantes para o desenrolar da trama até chegar ao ponto de encontro dos dois protagonistas.
  • LEX LUTHOR: Foi muito corajoso colocar um personagem tão caricato e discrepante de todo o resto do elenco. Eu gostei deste exagero, mas não estou confirmando ser algo bom para o filme.
  • A MOTIVAÇÃO DA LUTA: Estão dizendo por ai que o Superman não tinha motivos para odiar o morcegão. Mas experimente sequestrar a mãe deste indivíduo e prometer soltar ela caso traga a cabeça de seu rival numa bandeja de prata (não precisa ser prata, foi só força de expressão). Apesar de Clark achar o Vigilante de Gotham o maior vilão e não ter muita paciência na luta, ele optou por tentar dialogar boa parte dela.
  • A DIREÇÃO: Zack Snyder é um bom diretor sim. Veja 300, Madrugada dos Mortos, Sucker Punch e a caralha da obra prima, Watchmen. O que desejou um pouco foi a edição, cortes sem sentido deixando o espectador um pouco perdido, mas foi um motivo de risos, não de raiva (Um único corte de cena e Batman tira a armadura).
  • TEMPO DA LUTA: Venhamos e convenhamos, a luta não poderia durar tanto, afinal são os dois vigilantes mais poderosos até o momento e na realidade a luta demora um bocado sim senhor, até porque ele tinha uma hora pra acabar com seu rival, e quando a luta se acaba em um belo pedido de perdão e um abraço entre amigos, Martha Kent tinha apenas 10 minutos para ser resgatada.
  • HENRI CAVILL: Sim, ele não tem expressão alguma, assim como (na minha opinião) um alienígena com forças divinas, capaz de destruir tudo mas resolve ser um super-herói deveria ter. Ele está perturbado por ter destruído metade de uma cidade e não quer falar sobre o assunto. OK, eu aceito a falta de expressão do ator.

Mas, tenho que admitir que o motivo do Lex, a criação do Apocalipse e Lois Lane não fazem nenhum sentido (junto com a edição que citei anteriormente, mas vou esperar a versão estendida para ver se esse ponto é corrigido).

Quase tudo é suportável, mas o que me irrita de verdade é a lazarenta da Lois Lane. Ela poderia ser totalmente apagada no filme que mesmo assim ele iria terminar aonde terminou, e isso vem desde Homem de Aço. O mesmo erro de FORÇAR em colocar a dama sempre em perigo para o mocinho salvar.

Ben Affleck é um bom Bruce Wayne e um excelente Batman, mas não precisamos endeusar ele, acho que qualquer bom ator, com um bom porte físico e uma boa altura poderia fazê-lo.

O filme superou minhas expectativas, até porque estava com ela bem baixa.

Uma ressalva para a trilha de Hanz Zimmer, principalmente na aparição da Mulher Maravilha, a personagem que mais curtiu a briga e roubou o terceiro ato pra ela.

 

Nota: 4,65

Direção: Zachary Snyder

Roteiro: Chris Terrio & David S. Goyer

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo