O Real Significado da Caixa de Pandora

Esqueçam de continuar lende, se pensam que vão ler sobre God of War neste post… ainda não vamos falar desse jogo lindo e maravilhoso… ainda.

Acreditem se quiser, essa pesquisa começou com Boceta. Não o órgão genital feminino, mas a forma correta de escrever a palavra. Me desculpem por começar nossa matéria assim.

Pois bem, o termo chulo e popular se refere, na primeira sílaba, a fonética dada a vogal dominante U, trazendo assim, o som de Buceta, para a palavra Boceta. Seu significado é, além do nome dado à ferramenta sexual e aprisionadora de corações apaixonados, a uma caixinha redonda, oval ou oblonga, para guardar, geralmente, jóias e pequenos pertences.

Sua origem e etimologia vem de Bucil, Buxis, ixis. Do latim e grego, as palavras “caixa” e “boceta” tem o mesmo significado. Tanto, que era usado o termo Boceta de Pandora a 50 ou 100 anos atras.

E é assim, que nossa matéria começa. Vamos falar sobre o que era a “Caixa” de Pandora.

 

MITOLOGIA GREGA

Tínhamos, até então, Zeus e os demais deuses. Gaia, Cronos e os demais Titãs, dois de seus filhos eram Prometheus e Epimeteu, estes foram responsáveis pela criação de todos os animais e, por último, o homem.

Epimeteu ficou responsável de entregar cada característica vantajosa a um animal. Uns voam, outros tem garra, outros são velozes e outros respiram debaixo d’água. Ao chegar na vez do homem, Epimeteu usou todos os atributos e não restava mais nada para presentear sua criação.

Aos pensamentos de Goethe, filósofo e poeta alemão, Zeus invejava Prometheus e o titã sabia disso e por essa razão, além de todos os animais, foi criado o homem:

 

“Encobre o teu Céu ó Zeus
com nebuloso véu e,
semelhante ao jovem que gosta
de recolher cardos,
retira-te para os altos do carvalho ereto.
Mas deixa que eu desfrute a Terra,
que é minha, tanto quanto esta cabana
que habito e que não é obra tua
e também minha lareira que,
quando arde, sua labareda me doura.
Tu me invejas!

Eu honrar a ti? Por quê?
Livraste a carga do abatido?
Enxugaste por acaso a lágrima do triste?

Por acaso imaginaste, num delírio,
que eu iria odiar a vida e retirar-me para o ermo
por alguns dos meus sonhos se haverem
frustrado?

 

Pois não: aqui me tens
e homens farei segundo minha própria imagem:
homens que logo serão meus iguais
que irão padecer e chorar, gozar e sofrer
e, mesmo que sejam parias,
não se renderão a ti como eu fiz”

Prometheus, roubou o fogo dos deuses e deu aos homens, para que eles tivessem o maior poder de todos e assim, dominar em conhecimento e crescer em sabedoria.

Zeus, ao saber do feito, ordenou Hefesto que prendesse o rebelde Titã no monte Cáucaso e que todos os dias um corvo se alimentava de seu fígado e que todas as noites ele se regenera. Assim deveria durar 30000 anos.

Imagem relacionada

(Prestem atenção. Aqui começa a ficar interessante) “Num mito hesiódico, a primeira mulher, criada por Hefesto e por Atena, com o auxílio de todos os outros deuses, por ordem de Zeus. Cada um deles lhe atribuiu um dom: recebeu assim a beleza, a graça, a destreza manual, a capacidade de persuadir e outras qualidades. Mas Hermes colocou no seu coração a mentira e a astúcia. Hefesto fê-la à imagem das deusas imortais, e Zeus destinou-a à punição da raça humana, à qual Prometheus tinha acabado de dar o fogo divino. Foi esse o presente que todos os deuses ofereceram então aos homens, para lhes causar a desgraça (Pierre Grimal, Dicionário da Mitologia).”

Pandora foi enviada a Epimeteu, que não ouviu o conselho do irmão acorrentado e, encantado com a mulher, casou-se com ela.

Assim, “a Caixa foi aberta” e todos os males da humanidade se espalharam pela Terra. Doenças, Inveja, Ira, Mortalidade, Velhice, Ciúmes, Egoísmo e a Mentira, foram algumas desgraças que caíram sobre todo o homem vivente. Pandora, ao perceber que o que havia dentro da caixa estava se esvaindo, logo fechou-a. Sobrando em seu interior apenas a Esperança. Epimeteu não se deu conta de tudo o que ocorreu e continuou sempre a desejar a caixa que, constantemente, se encontrava no colo da mulher.

Imagem relacionada

Em seu livro, Humano, Demasiado Humano: Um Livro Para Espíritos Livres, Friedrich Nietzsche, cita que a Esperança talvez seja o maior de todos os males:

Pandora trouxe o vaso que continha os males e o abriu. Era o presente dos deuses aos homens, exteriormente um presente belo e sedutor, denominado “vaso da felicidade”. E todos os males, seres vivos alados, escaparam voando: desde então vagueiam e prejudicam os homens dia e noite. Um único mal ainda não saíra do recipiente; então seguindo a vontade de Zeus, Pandora repôs a tampa, e ele permaneceu dentro. O homem tem agora o vaso da felicidade, e pensa maravilhas do tesouro que nele possui; este se acha a sua disposição: ele o abre quando quer; pois não sabe que Pandora lhe trouxe o recipiente dos males, e para ele o mal que restou é o maior dos bens – é a esperança – Zeus quis que os homens por mais torturados que fossem pelos outros males, não rejeitassem a vida, mas continuassem a se deixar torturar. Para isso lhe deu a esperança: ela é na verdade o pior dos males, pois prolonga o suplício dos homens.”

Imagem relacionada

Assim, a primeira mulher foi criada, a humanidade estava condenada e a esperança permaneceu dentro de sua boceta. Agora, reflitam comigo:

 

TEORIA

 

  • Prometheus e Epimeteu criaram todos os seres viventes e, sabendo que eles mesmos foram criados para divertimento dos deuses, na sua mais perfeita obra, deu vida os homens. Eles por si, sem receberem qualquer atributo vantajoso como todos os outros animais, receberam de seus criadores o fogo, roubado do Olimpo, com ele veio o conhecimento e sabedoria. Logo, os deuses não seriam mais o centro de todo louvor;
  • Zeus aprisionou Prometeus, responsável do furto, e presenteou seu irmão com a mulher, a maior criação dos Deuses, feita do barro e presenteada com algo que os homens não tinham e desejavam muito;
  • Ao casar-se com Pandora, os dois abrem o caminho do ventre, a virgindade da mulher é rompida, como um selo de um presente. Ela, por sua vez, engravida e dá luz ao seu filhos, homens falhos e pecaminosos, mortais e vulneráveis ao tempo e as doenças.
  • Assim, a humanidade representa os males deles mesmo e dentro da caixa, isto é, do útero da mulher, ainda se encontra a Esperança. Ou seja, a possibilidade de uma nova vida, começar do zero, educar e ensinar o certo e tentar fazer do um recém nascido, a esperança de um futuro melhor.

 

“Mentira que a curiosidade seja exclusividade das mulheres. E Epimeteu não resistiu e levantou a tampa da boceta de Pandora. E dela saíram todos os males do mundo, seus pecados, doenças e vícios.”

Emiliano José

 

Espero não ter te assustado com o tamanho do texto nem com o assunto de duplo sentido. Eu realmente estou me aprofundando na mitologia grega e pretendo escrever muito sobre interpretações e entendimentos do assunto.

Se você gostou e deseja ler mais a respeito, por favor, deixe seu comentário, estamos esperando.


contato@colunageek.com.br

www.facebook.com/ColunaGeek

twitter.com/ColunaGeek

www.instagram.com/colunageek

 

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo