WestWorld: O mundo de Michael Crichton, Asimov, Platão e Sergio Leone

Cotada para substituir Game of Thrones e conquistar os fãs de ficção cientifica, WestWorld teve sua estreia marcante no dia 02 de Outubro de 2016 na HBO.

Baseada na obra de Michael Crichton e adaptada com um roteiro ambicioso redigido por Lisa Joy e o seu marido Jonathan Nolan, que dirigiu o episodio piloto, e produção de J.J Abrams de Lost, Star Trek e Star Wars VII, WestWorld quer se tornar um obra de ficção marcante para sua época e para a posteridade, não a toa se apega a seus idealizadores, que já no inicio da serie mostram as suas identidades visuais.

Com um elenco receado de nomes importantes e talentosos como Evan Rachel Wood (O Lutador), Anthony Hopkins (Hannibal), Ed Harris (Os Eleitos) e o brasileiro Rodrigo Santoro (Carandiru), WestWorld é um lençol de retalhos de diversos conceitos científicos e filosóficos. Nota-se como o mito da caverna de Platão, os filmes de Sergio Leone e os contos de Isaac Asimov estão ali na serie, a referencia ao conto Sonhos de Robô é nítido logo no inicio.

Um conceito que gosto muito são os filmes westerns, quem me acompanha no PodGeekCast sabe que Sergio Leone é o meu diretor favorito nesse gênero no cinema e que a trilogia dos Dólares é a que mais cito como referencia de uma boa história contada. Mas apenas esses sentimentos não bastam para que eu me apegue a filmes e séries que abordam esses temas, tem que haver um “algo a mais”. E pra mim WestWorld tem esse a mais.

A estética da serie é sem duvida perfeita, como fã de fotografia em seriados que sou gosto quando a cena, às vezes sem um único dialogo ou narrativa de fundo, consegue passar profundidade ao personagem, transmitir sentimentos ou em certos momentos, trazer uma visão mais ampla do universo que vamos acompanhar.

O simbolismo da serie também é seu ponto forte, desde a inocência ou ate mesmo a remota alusão a uma criança interna que os “anfitriões” nos passam, a sutileza dos seus movimentos, a falta de vida de alguns, o exagero de vida em outros e a interação entre os visitantes e os que já habitam esse universo há muito tempo, só demonstram que a serie veio bem preparada, do roteiro ate as atuações.

Confesso que há elementos muito fáceis de serem lidos, mas isso não me fez achar o piloto ruim, ele apresenta os personagens principais e secundários com tramas envolventes desde o começo. A serie quer ser ambiciosa e marcante desde o inicio, não apelando de maneira alguma, pois cada detalhe, fala, postura, imagem e interação de maneira alguma é gratuita, tudo tem um significado, ou no inicio do episodio ou no final.

O piloto é completo por si só como narrativa, deixa um gancho para os próximos episódios, que com certeza fará você acompanhar cada instante ansioso e fazer conjecturas de quais serão os desdobramentos que a serie fará, e como a Dolores, entrar nesse mundo novo e fantástico e ver mais do esplendor da natureza de WestWorld.

Scott

Não sei de nada. mas acho tudo

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.