A Noite / A Volta dos Mortos Vivos – Review

Quase nada nesta terra é mais lindo e emocionante do que um cadáver que voltou à vida, com sua carne putrefata e decomposta, sedento por cérebro. Hoje nós vamos conhecer a origem desse nosso amor, com George Romero e John Russo.

Dois amigos de longa data e viciados em cinema decidem criar seu primeiro longa, juntam o que estava em alta no momento e maiores interesses pessoais para criar um argumento que se resumia em: Alienígenas comedores de carne humana. No primeiro ato, aonde se passa dentro de um cemitério pelo simples motivo de todos terem medo de um terreno nebuloso cheio de lapides de pessoas mortas, um homem ataca violentamente um casal de irmãos, este homem estava morto. Quando Romero terminou esta parte e deu para Russo ler, eis que a pergunta foi feita, “Porque o morto estava atacando o casal?”, não sabendo explicar, Russo deu a ideia de substituir os alienígenas por mortos vivos que se alimentam dos que ainda não morreram.

A ideia foi audaciosa, pois não tinha muito nicho voltado para o estilo e o termo zumbi ainda não se encontrava na cultura popular. Quando todo o roteiro foi terminado e as gravações iniciaram, John Russo retomou á trabalhar no texto, transformando ele em romance e em menos de três anos, o Morto Vivo estava mais vivo do que nunca, os dois diretores já tinham verba aprovada para a continuação de seu filme e junto com ele, as editoras estava batendo na porta para poder ter o direito da sequencia literária. Foi dai que tudo que conhecemos dos princípios básicos de zumbi surgiu, e foi dai que seu amado Residente Maligno e Caminhando com Papai e tantos outros produtos se basearam. Joe Russo e George Romero criaram do zero a fome incessante, o andar monótono, as mãos estendidas pra frente, o tiro na cabeça, a infecção por contato e o andar em grupos.

As estorias são bem simples, no primeiro livro você tem uma noite dentro de uma casa, aonde um grupo de pessoas estão se protegendo de hordas de infectados, tendo que escolher entre ficar e persistir, ou tentar fugir e encontrar outro abrigo. O segundo livro conta 10 anos após o primeiro ataque, aonde tudo foi escondido e apagado das mídias de comunicação, mas que por sua vez ficou encrustado nas lembranças de quem viveu pra contar, mas ninguém esperava que o surto de mortos voltando a vida iria reaparecer para o desespero de uma pequena cidade.

Vale muito a pena ler esse exemplar que a editora DarkSide esta publicando, pois nele você tem um gostinho de tudo o que já conhece sobre o comedor de cérebro, mas tendo um conteúdo de 60 anos em mãos. Poucas coisas me incomodaram de fato, a mais fácil de citar é a fala, que não esta separada por paragrafo e sim com um ponto, destacada com aspas. Contudo, a ambientação esta boa e os personagens são bem convincentes com suas particularidades.

Ah… e lembra da ideia dos alienígenas? Ela foi colocada na trama, este sim é um easteregg dificil deachar… hehe

Nota: 4,15

Escritor: Joe Russo & George Romero

Rafael Peregrino

Musica, filmes e livros me definem. Um violão, um café, um papel e uma caneta me descrevem. Mas quem eu amo pode sempre dizer mais de mim Do que eu mesmo